TXT

Escrevo com urgência, porque as vezes dói demais deixar aqui dentro. Você pode encontrar mais textos além desses em suas respectivas categorias. Aqui estão os mais recentes.

Carta aberta:

  • Dói, São Paulo
    são paulo, já faz alguns anos da minha chegada. só duas malas cheias de livros e roupas. a câmera pendurada no ombro e uma mochila de expectativas bem embaladas com medo que pudessem quebrar. fase nova. tem situações que acontecem rápido demais, você não percebe. assim como não percebi os anos que passaram.
  • 13 pontos
    Entre o que me fez chorar e sorrir, decidi carregar o aprendizado nas cicatrizes.
  • Monólogo
    será meu terceiro aniversário em são paulo. três datas com comemorações completamente diferentes uma da outra. eu vim da internet, colocava meus medos em textos, meus aprendizados em vídeos e compartilhava minhas dores com quem estivesse disposto a me assistir por 5 minutos.

Contos e Crônicas:

  • Caminhos
    senti sua falta quando acabou e quando a raiva veio forte e sem filtro. nas vezes em que xinguei nossa história, as sua atitudes e a minha desimportância.
  • Mágoa
    a mágoa gruda. distorce sentimentos, camufla memórias e reinventa situações. faz você achar que faz falta, sente falta e sempre falta. põe um filtro torto nas suas visões e, na fraqueza, sussurra ilusões que fazem sentido.
  • Aos que vieram depois de você
    Quando as luzes se apagaram antes de você ir, achei que nunca conseguiria encontrar um jeito de acendê-las de novo. Não estava frio e o que eu sentia não era tristeza. Perderíamos o que cada um tinha pelo outro, mas era melhor assim. Abaixamos as armas e nos transformamos em cinzas.
  • Vem cá
    Ei, vem cá. Eu escrevo sobre amor. Está ali no meio do ciúme, do desejo da ausência do carinho e da saudade. Porém, ele vindo assim, continua sendo amor?
  • Quero
    não quero que você seja feliz o tempo todo; não quero que você não se machuque, viva na ilusão ou se satisfaça com doses homeopáticas de mentiras; não quero que você tenha medo de ficar triste, que se sinta solitário ao ficar sozinho;
  • Lembrei de você
    Hoje, lembrei de você. Já faz tempo e ainda me senti incomodado pelas memórias. Te considerava importante demais, pelo visto. Nutri sentimentos e trouxe você para perto demais. Bela bosta, você ferrou com tudo.
  • Era uma vez
    Era uma vez um menino solitário Postura torta e coração machucado Mantendo no interior da mente As coisas que não conseguia ter
  • Por favor
    Quando for entrar, tire os sapatos. Deixe a sujeira do lado de fora e só traga os caminhos pelos quais seus pés passaram. Me mostre as experiências guardadas na mochila. Aos poucos, me deixe expor as cicatrizes talhadas no peito. Ria comigo transformando as sombras em ecos insignificantes.
  • Promessa
    Fiz uma promessa, lá no começo prometi que alguma coisa seria diferente. Não encararia os erros com tanta pressão. Não daria espaço para as insegurança crescerem sem antes promover uma boa lutar contra elas. Não levaria tudo tão a sério, já que a vida é dramática demais.
  • Voar
    A rampa era bamba, instável sob os pés de alguém que não estava confortável. Ele mantinha os braços abertos e joelhos flexionados, preparado para saltar longe da beira caso alguma coisa fora do esperado acontecesse.